Que horas ela volta?

Qualquer coincidência não é mera semelhança:

(…) A Esméria recomendou que eu me comportasse bem, nunca dizendo nada que não fosse perguntado, nunca fazendo o que não fosse pedido e nunca desobedecendo ou questionando, mesmo quando achasse que uma ordem estava errada ou era injusta. Era assim que as coisas aconteciam entre pretos e brancos, e era assim que deveriam continuar pois eu nunca poderia mudá-las e tinha até muita sorte de estar entre os escravos da casa, mais bem tratados do que os que viviam  na senzala grande (…).

Um Defeito de Cor/ Ana Maria Gonçalves/ Pág. 76/ Editora Record/ 2006